Quem vai dizer tchau


Quando você entende cada vírgula da frase “Eu te amo, Dexter. Amo muito. Só não gosto mais de você.”

Quem assistiu ao filme “Um dia” com certeza se lembra dela. Essa cena é um dos ápices do filme, marca e fica na sua cabeça, eu pelo menos fiquei repassando isso e entendendo cada vez mais a complexidade dela no contexto da história e achei fantástico. Mas, nada comparado a passar por isso.

Não acredito que amor se acabe, acredito que mude. Quando você ama alguém, você ama e pronto, independente do que ela fale, faça ou deixe de fazer, você a ama. Só que é óbvio que em algum momento as coisas vão ficar um pouco mais complicadas, você vai se magoar, sim magoar, não ficará irritado, porque quando alguém que é realmente importante para você faz algo que você não esperava ou não aprove, você fica triste com a situação, por ver que alguém tão especial aos seus olhos está errado daquele jeito, só que com o seu amor, você supera isso e a vida segue…

Acontece que a repetição de situações desagradáveis e a mágoa que vai ficando por causa disso fazem seu sentimento mudar; não deixa de ser amor, se realmente for, será para o resto da vida. “Tá, e quando eu sei que estou amando alguém?” Pode ter certeza, quando acontecer você vai saber. E é sobre essa mudança que eu quero falar. Quando sentimos que as coisas não são mais como eram, que existe sim uma diferença gritante na relação de hoje com a de tempos atrás, como fazer pra deixar isso claro e não magoar também? Afinal, você sabe melhor do que ninguém o quanto isso é ruim.

Não é fácil desfazer um relacionamento, se desapegar de alguém, com certeza não é, mas às vezes é preciso. E se for um relacionamento duradouro, um pouco mais delicado e ainda pior. Muitas serão as lembranças, os amigos em comum e todas as outras coisas que servem de “ponte”, o que dificulta o afastamento que você tanto precisa nesse momento. “Não se acostumar com o que incomoda”, meter a cara, abrir a situação, conversar com calma e não se martirizar depois. Não existe aquele que não tenha passado por isso, ou melhor, se ainda não, um dia passará. Já parou para pensar que quando nos relacionamos com alguém a probabilidade de dar certo é a mesma de não dar? E se não der… Coragem. Zona de conforto nunca levou ninguém a lugar nenhum. E uma coisa é certa, é preciso estar muito firme com a sua decisão, muito. Não rola ficar oscilando esse tipo de coisa, só estará prolongando, e com certeza bem não vai fazer.

O difícil, mas não impossível, é fazer com que os “envolvidos” entendam e fiquem numa boa isso. Mas, não faça disso um motivo para não ir em frente, se estar segura disso, faça. Ninguém além de você mesma sabe o que está se passando e o quanto isso interfere e te prende. Não dê ouvidos para julgamentos, sempre vão falar se não por esse, por qualquer outro motivo. Situações como essa, fazem parte da vida, cabe a nós aceitar e aprender com isso.

Se não correr em busca da sua felicidade, quem fará isso?

 

Anúncios

O que achou desse post? :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: